Carta à minha memória

Querida memória,
a ti te peço, hoje,
de coração aberto,
que não partas de mim.

Guarda, por favor,
todas as boas histórias
que pessoas tão importantes
um dia me contaram.

Guarda, peço-te,
todos os bons momentos
que com os outros vivi
e que me tornaram quem sou.

Mas, por favor, apaga
todos os traumas que tenho,
todas as tormentas por que passei
e que me trazem tanta amargura.

Faz desaparecer, peço-te,
todas as razões
que me fazem hesitar
e não confiar em quem amo.

A ti, querida memória,
peço-te que realces
o melhor de mim,
a minha melhor versão.

Acompanha-me sempre
em todas as viagens,
em todas as aprendizagens,
vive comigo até ao meu fim!

Elisabete Martins de Oliveira

31.07.2019

Publicado por

Nascida no dia da Liberdade, trago-a comigo na mente todos os dias. Sou companheira da Natureza, da sua simplicidade e complexidade, e aprecio o seu silêncio e os seus tão magnos sons – especialmente os do Mar. Tenho um encanto pela Música, pela inspiração que me traz para todos os momentos da minha vida. Sou apaixonada por viagens e autocaravanas, e por tudo o que o mundo me pode ensinar. E sou amante da Escrita, aquilo que me define, o mais incrível e deslumbrante modo de vida que consigo conceber.