Ano Novo

O ano que se aproxima será um ano de mudança. Ou pelo menos assim o esperamos. Afinal, a transição no calendário faz tudo parecer mais real, mais palpável. Mudar parece, então, fazer mais sentido.

Após um ano de tantas transformações – ou ausência delas –, chegamos ao fim munidos de um cansaço extremo. É nesta altura que entra a introspecção, a necessidade de reflectirmos, de fazermos um balanço do que correu bem e do que não correu tão bem. Por norma, eu diria que o ser humano procura fazer melhor. Contudo, muitas pessoas são arrastadas pelo desespero e empurram-se a si mesmas para comportamentos que as prejudicam e aos outros. Mas, pensando no lado positivo, eu sou da opinião que as pessoas querem mudar para melhor e ser a melhor versão de si mesmas. E, curiosamente, usam a passagem de ano como um momento de reflexão, culminando na decisão final de transformação de certos aspectos pessoais e profissionais.

No entanto, a mudança é psicológica. Somos nós que decidimos mudar, mudar algo que não está bem, ou que não está da forma que nós queremos. Somos nós que tomamos essa decisão, independentemente da altura da nossa vida. Porém, muitas pessoas usam o ano novo como um marco temporal da sua decisão de mudança. E isto é curioso. Porquê esta altura em concreto?

Muitos dirão “Só mais um ano.” ou “Já agora, espero pelo final do ano…” para adiarem mudanças que talvez já devessem ter ocorrido. É fácil agarrarmo-nos a marcos temporais, sobretudo àqueles que são socialmente aceites. E, muitas vezes, não deveríamos esperar. E falo contra mim, que muitas vezes também digo estas coisas, e depois sofro com estas decisões. É fácil prolongarmos o sofrimento porque tememos a reacção dos outros. Por vezes, é mais fácil explicar à família e aos amigos: “Mudei de emprego.”; “Porquê?”; “Ano novo, vida nova!” do que tomar esta decisão a meio ou no final do ano. E a verdade é que nós devemos ouvir o nosso coração. Se ele vibra ao som de uma mudança, então devemos seguir nessa direcção. É porque estamos no caminho certo. É porque essa mudança representa algo positivo para nós. Então, se nos faz feliz, para quê esperar?

A mensagem de ano novo que quero aqui deixar é: Não deixes para o ano novo o sonho que já podias estar a concretizar hoje. Sem medos. Sem preconceitos. Lança-te nas tuas mudanças, transforma-te na pessoa que queres ser. Não esperes por um momento que pode nunca chegar.

 

Elisabete Martins de Oliveira
31.12.2019

Publicado por

Nascida no dia da Liberdade, trago-a comigo na mente todos os dias. Sou companheira da Natureza, da sua simplicidade e complexidade, e aprecio o seu silêncio e os seus tão magnos sons – especialmente os do Mar. Tenho um encanto pela Música, pela inspiração que me traz para todos os momentos da minha vida. Sou apaixonada por viagens e autocaravanas, e por tudo o que o mundo me pode ensinar. E sou amante da Escrita, aquilo que me define, o mais incrível e deslumbrante modo de vida que consigo conceber.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s