Escrita

Afio o lápis
uma vez mais.

A pressa
escapa-me pelas mãos.

A ânsia
desfaz equívocos.

A gana de escrever
é grande, magna.

As palavras soltam-se,
velozes, no papel.

Ganham asas
vindas da imaginação.

A escrita liberta-se
do lápis, da mão, da alma,

Numa magia
que me eleva.

E eu atendo
aos seus pedidos.

Debruço-me sobre a página
e nela escrevo.

Escrever é-me tão natural
como respirar

É parte de mim,
da minha identidade.

E, quando escrevo,
eu sei quem sou.

Elisabete Martins de Oliveira
08.01.2020

Publicado por

Nascida no dia da Liberdade, trago-a comigo na mente todos os dias. Sou companheira da Natureza, da sua simplicidade e complexidade, e aprecio o seu silêncio e os seus tão magnos sons – especialmente os do Mar. Tenho um encanto pela Música, pela inspiração que me traz para todos os momentos da minha vida. Sou apaixonada por viagens e autocaravanas, e por tudo o que o mundo me pode ensinar. E sou amante da Escrita, aquilo que me define, o mais incrível e deslumbrante modo de vida que consigo conceber.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s