Encontro

Encontro o teu olhar perdido nesta imensidão de escuridão, e pergunto-me o que terá acontecido se nele só vislumbro a solidão. Aproximas-te, com hesitação, o teu olhar fitando o meu, nesta penumbra de indagação, neste lugar, escuro como o breu. Lanças-te nos meus braços, e eu envolvo-te com os meus, o silêncio pautando os teus […]

Ler Mais

Emoção

Eu vivo a emoção com uma tal intensidade que a minha respiração se torna ansiedade   O amor, este sentimento, ressoa em mim como eco num concerto, como uma flor no jardim.   A tristeza reverbera como um diapasão numa sala de espera, à espera de uma razão.   A alegria que em mim ecoa, […]

Ler Mais

Sentir

Escrever é sempre escrever, é saciar a alma com palavras e deixar a imaginação fluir.   É uma arte que se cultiva, como uma bela flor, que nasce connosco.   É a falta de ar que vem com cada palavra, cada frase, cada capítulo.   É a impossibilidade de não dedilhar e escrever que determina […]

Ler Mais

Mar agitado

Mar, grande mar agitado, tu sacodes as proas dos barcos, despertando-as do silêncio e da quietude.   As nuvens que te sobrevoam adivinham chuva, mas é o vento forte que te faz oscilar assim.   Mar, grande mar, fazes das ondas a tua casa, o teu único refúgio.   E vagueias por este mundo, vivendo […]

Ler Mais

O apelo da Primavera

Lá fora, crescem, lentos, os rebentos das flores. Tantas cores, tanta alegria!   As árvores ganham folhas, e tu olhas para a beleza, essa certeza do amanhã.   Os pássaros cantam, livres, tão felizes nas suas vozes, voos velozes e graciosos.   Contemplas a Primavera, nova era deste ano, em tom soprano, límpido.   E […]

Ler Mais

Barco

Barco, que te vais, que navegas pelo mar, como os velhos ancestrais, irás, um dia, regressar?   A tua silhueta, perante o lindo crepúsculo, consigo acarreta um segredo no opúsculo.   Em teu redor, as ondas despertam majestosamente a quietude das crenças dos que amam profundamente.   É esta a despedida, sob o canto das […]

Ler Mais

Família

Resiliência, característica de reverência.   Viver, crescer, lutar, e vencer!   Sente a união, de força, é bênção!   Dá amor, apoio, e calor.   Vive tudo isto, e revive!   Reconhece, sempre, e agradece!   Elisabete Martins de Oliveira 18.03.2020

Ler Mais

Incompreensão

Eu queria compreender, mas não consigo.   A dor que as coisas causam é imensa e indomável.   Sinto que, por vezes, não consigo derrotá-la.   Embora eu tente, muitas vezes caio.   Caio na incompreensão do porquê de tanto mal.   Queria apenas a paz, a ausência de sofrimento.   Será isso pedir muito? […]

Ler Mais

Alegria

Que alegria imensa, esta, de estar viva!   Que alegria que é escrever numa página em branco!   Que alegria que é sentar-me e respirar fundo!   Que alegria que é contemplar a Natureza!   Que alegria que é abraçar quem amo!   Que alegria que é poder viver tudo isto!   Elisabete Martins de […]

Ler Mais

Fôlego

Não énem seráo último, este fôlegoque sou,que respiro. Sou quem sou,agora, aqui,neste momento. E abraçoo presentevivendo-o. A vidapassanum sopro, por isso,eu quero vivê-lahoje, agora, sempre. Elisabete Martins de Oliveira12.02.2020

Ler Mais

Poesia

E há quem ainda olhe o mundo sob os olhos da poesia. E nele vê encanto, inspiração, beleza, contemplando o amanhecer. Mas sente a tristeza, o roer do arrependimento, a chuva da dor. E, perante as emoções, sente-as intensamente, vive-as como suas. Nessa maravilha que deslumbra, olha o mundo inteiro pelos olhos da poesia.   […]

Ler Mais

Escrita

Afio o lápis uma vez mais. A pressa escapa-me pelas mãos. A ânsia desfaz equívocos. A gana de escrever é grande, magna. As palavras soltam-se, velozes, no papel. Ganham asas vindas da imaginação. A escrita liberta-se do lápis, da mão, da alma, Numa magia que me eleva. E eu atendo aos seus pedidos. Debruço-me sobre […]

Ler Mais

Chuva

Chuva que cais na janela, deixas-me a reflectir. O céu cinzento que te antecede encobre a alegria e apreende a tristeza. As árvores despidas, os ramos revelados, dançam ao vento enquanto os molhas. Chuva, tu reges o mundo, dás-lhe vida, dás-lhe cor, és importante! Mas eu prefiro abrigar-me de ti, junto à lareira, a ouvir-te […]

Ler Mais

Memória

Ó memória, tu levas-me para lugares distantes. Levas-me para a felicidade, para a minha origem. Lembras-me da minha casa e do meu sol. Lembras-me dos que mais estimo, do calor do afecto. Contigo, regresso até à Lagoa, até à Serra. Até me recordas da minha Lisboa ao amanhecer. Contigo, percorro os caminhos da alegria, e […]

Ler Mais

Caminho

O caminho é uma escolha que fazemos todos os dias. Um dia, numa direcção, e no outro, numa outra. Por vezes, é fácil, mas noutras, bem difícil. Contudo, o caminho que escolhemos é sempre uma decisão nossa. E escolhemo-lo porque nos parece, no momento, a escolha acertada. Mas será que sempre é? Não. Claro que […]

Ler Mais

Numa casa

Numa casa, as luzes vão fundir, os pratos vão partir, as paredes vão ruir. Numa casa, os canos vão rebentar, os adultos vão chorar, as crianças vão gritar. Numa casa, ver-se-á o amanhecer, ver-se-á o entardecer, e também o anoitecer. Numa casa, sentir-se-á dor, sentir-se-á rancor, mas também amor. Porque, numa casa, verás crescer, irás […]

Ler Mais