Barco

Barco, que te vais, que navegas pelo mar, como os velhos ancestrais, irás, um dia, regressar?   A tua silhueta, perante o lindo crepúsculo, consigo acarreta um segredo no opúsculo.   Em teu redor, as ondas despertam majestosamente a quietude das crenças dos que amam profundamente.   É esta a despedida, sob o canto das […]

Ler Mais